Segundo a dermatologista Vera Camargo, a principal função de todos eles é a mesma: manter a quantidade adequada de água na pele, com moléculas que atraem a água ou que formam uma barreira, evitando o ressecamento. O que varia é o tipo de produto que usamos para aplicar essas moléculas na nossa pele.
Para saber qual o tipo de hidratante é mais adequado a sua pele, veja as dicas da dermatologista:
• Peles oleosas combinam com hidratantes em forma de loção ou gel, que têm menos óleo na formulação. O uso de hidratantes em creme é contra-indicado porque em peles oleosas podem agravar a ocorrência de acne.
• Já as peles secas precisam de produtos em creme, que têm fórmula mais oleosa.
• Quem tem pele mista pode usar hidratantes formulados em gel ou gel-creme, livres de óleo. Desse jeito, se evita o ressecamento e o excesso de oleosidade.
• Para peles normais são recomendados hidratantes em loção cremosa, mas livres de óleo para evitar o aparecimento de espinhas.
“Os hidratantes em forma de loção e gel podem não ter tanto efeito como os cremosos, mas não há grandes desvantagens, já que o creme pode facilitar o aparecimento de acne e foliculite por conter muito óleo”, diz a dermatologista
Independente do hidratante, o ideal é que combine com a pele para que a pessoa se sinta confortável.